Teatro

Outubro de 2005, pela primeira vez subo em palco, junto da CIA Arte Viva da cidade de Varjota/CE, grupo que durou pouco menos de um ano, e remontou o espetáculo As aventuras de Ripió Lacraia, de Chico de Assis, fundamental pra me apresentar uma vida inteira que ali seguiria, mergulhada no fazer teatral.

Julho de 2006, fundamos de forma amadora, eu e Ronaldo Araújo, a CIA teatral Criando Arte, à época, para uma única apresentação num evento na escola que estudávamos. Como primeiro espetáculo, meu primeiro texto público,  Loteria 2 2 2, escrito em maio de 2006, uma adaptação de Um edifício chamado 200 de Paulo Pontes. Em outubro do mesmo ano, o espetáculo é apresentado pela primeira vez, e inicia uma circulação por toda a zona norte do Ceará, perenizando a ação do grupo. Nos anos que se seguiram a companhia firmou seu fazer teatral na cidade, com espetáculos como Ninguém me ama, somente ela…, Com dinheiro na cabeça, na alegria ou na tristeza, Uma traição dos diachos, A Serpente, A Botija, Minha Filha, A menina e o espantalho, Pantominas & coisa e tal, Amor à primeira lida, todos trabalhos, que atuei como dramaturgo, vezes também como ator, diretor e produtor.

A companhia, ao longo desse período, fomentou eventos e ações que fizeram por anos, parte do calendário cultural da cidade, como Festival Estudantil de Esquetes, Mostra de Cultura, Diversão e Arte, e por uma edição, o FestVa (Festival de Teatro de Rua de Varjota). Em 2016, é fundada a Casa de Arte CriAr, espaço sociocultural para apresentações, experimentações e debates artísticos em Varjota, administrada pela CIA Criando Arte, onde passo a atuar como produtor executivo do espaço, recebendo artistas e trabalhos de vários estados do Brasil.

Hoje, o grupo atua com repertório amplo, abordando desde trabalhos e estudos experimentais, como Tantos Nós (2017 -), Não Recomendado (2020 – ) e Litígio (2021 -); à tradição popular, Boi CriAr (2015 -); e o trabalho cenomusical, voltado para o público infantil, Estripulia (2016 -), os últimos, onde atuo também como músico.

Em quase duas décadas de vivência cênica, possuo formação em princípios básicos de teatro, e experiências de curta duração em direção, dramaturgia, produção cultural, e teatro de tradição, além de intercâmbios culturais com artistas e grupos de vários estados do Brasil. Como dramaturgo, foram mais de 20 trabalhos cênicos, entre espetáculos e esquetes, e como ator, diretor e produtor mais de 30, apresentados em pelo menos 40 cidades de quatro estados. Ministrei oficinas e cursos de teatro em várias cidades do Ceará. Em 2013, a companhia é congratulada por Moção da Câmara Municipal de Varjota, pelos serviços à cidade. Por duas vezes (2013 e 2017), somos Destaques do Interior, no Troféu Carlos Câmara. Em 2017, ganhamos o Festival ECOAR Natal de Luz da cidade de Reriutaba/CE, como melhor espetáculo, pela apresentação de Boi CriAr; e o prêmio de melhor diretor do esquete Benjamins no X Festival de Teatro de Sobral, além do prêmio de melhor ator para Jorge Antonio, pelo mesmo espetáculo. Em 2020, a Casa de Arte CriAr é umas instituições habilitadas com o edital de Prêmio Fomento Cultural da Lei Aldir Blanc do Governo Estadual do Ceará pelos serviços realizados em sua região.

Saiba um pouco mais em:
@ciacriandoarte /@casadeartecriar

Nenhum produto no carrinho.

X